sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Homenagem da Disney a todas as meninas e mulheres do mundo

Esta semana muito se falou sobre violência doméstica (constituição de crime, números de 2013 em Portugal, falta de estratégia de prevenção, entre outros factores associados a este comportamento aflitivo e grave).

Em contra-corrente, deixo-vos este vídeo delicioso sobre a condição de mulher. É uma homenagem da Disney, que retrata de forma bem simples e terna como somos maravilhosas. Há que tê-lo bem presente e sentido, para sabermos rodear-nos de quem nos trata bem.

Para ver e rever :)

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=93275

terça-feira, 26 de novembro de 2013

No dia em que o Orçamento de Estado 2014 foi aprovado...

...sugerimos manter a televisão desligada, mimar-se num banho perfumado de imersão e pegar num bom livro para relaxar (eufemismo para "não entrar em colapso nervoso e explodir com o Excel a tentar funções malucas para esticar o orçamento pessoal). 

1 - "Allegro Ma Non Troppo - Leis fundamentais da estupidez humana", de Carlo M. Cipolla  


Por que razão um estúpido é mais perigoso que um bandido? Qual é a relação histórica entre o consumo da pimenta, o desenvolvimento da metalurgia e a difusão do nome Smith? Estas e outras intrigantes perguntas encontram resposta nos dois divertidos ensaios que compõem este livro, uma pirueta anárquica de fino humor; o primeiro ensaio é uma paródia hilariante da história económica e social da idade Média, com o Império Romano à mistura; o segundo, uma deliciosa brincadeira, em jeito de teoria geral da estupidez humana. Duas pequenas obras-primas de jocosa extravagância intelectual, que nos propõem uma pausa de irreprimível comicidade e humorismo. Esta obra destina-se a todos os leitores sem excepção, em especial aos interessados pelas peripécias da História e aos amantes da escrita irónica e perspicaz.


2 - "O triunfo dos porcos", de George Orwell.

Publicado pela primeira vez em 1945, "O Triunfo dos Porcos" transformou-se na clássica fábula política deste século. Acrescentando-lhe a sua marca pessoal de mordacidade e perspicácia, George Orwell relata a história de uma revolução entre os animais de uma quinta e o modo como o idealismo foi traído pelo poder, pela corrupção e pela mentira.



Obrigada à minha assessora VIP "R" pela sugestão :)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Animal_Farm

domingo, 24 de novembro de 2013

A fábula da borboleta

“Certo dia, um homem estava no quintal de sua casa e observou um casulo pendurado numa árvore. Curioso, o homem ficou admirando aquele casulo durante um longo tempo.

Ele via que a borboleta fazia um esforço enorme para tentar sair através de um pequeno buraco, sem sucesso. Depois de algum tempo, a borboleta parecia que tinha desistido de sair do casulo, as suas forças haviam se esgotado. 

O homem, vendo a aflição dela para querer sair resolveu ajudá-la: pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo para libertar a borboleta. A borboleta saiu facilmente, mas seu corpo estava murcho e as suas asas amassadas.

O homem, feliz por ajudá-la a sair, ficou esperando o momento em que ela fosse abrir as asas e sair voando, mas nada aconteceu. A borboleta passou o resto da sua vida com as asas encolhidas e rastejando o seu corpo murcho. Nunca foi capaz de voar…

O homem então compreendeu que o casulo apertado e o esforço da borboleta para conseguir sair de lá, eram necessários para que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas para fortalecê-las e ela poder voar assim que se libertasse do casulo.”

Moral da história: às vezes o esforço é necessário para o nosso crescimento e fortalecimento.



Se por um lado gostei deste texto por haver dias em que me sinto borboleta enrolada no casulo, por outro, achei por bem publicá-lo ao encontrar paralelismos com o estado da nação.

Senão vejamos:

Portugal fazia um esforço enorme para tentar sair da crise através de um buraco, sem sucesso. Depois de vários PECS, o país parecia que tinha desistido de sair da crise, as suas forças haviam se esgotado. 

A Troika, vendo a aflição de Portugal resolveu ajudá-lo: pegou uma tesoura e cortou tudo o que havia para cortar para libertar o país. Portugal safou-se da primeira crise dos juros, mas seu corpo estava murcho (aqui dá-se liberdade criativa ao leitor para escolher quem quiser, na personificação de murcho) e as suas asas amassadas.

A Troika, feliz por ajudar Portugal a sair da crise, ficou esperando o momento em que ele fosse abrir as asas e sair voando pelos mercados e pelo crescimento económico, mas nada aconteceu. O país passou o resto da sua vida com a sua autonomia encolhida e rastejando perante os credores o seu corpo murcho. Nunca foi capaz de voar… Mas há-de ser capaz de voar.



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Parlamento Europeu quer 40% de mulheres na direcção de empresas até 2020

Esta proposta, que prevê um aumento até 2018 no caso das empresas públicas, visa um aumento da quota de mulheres nos "cargos de administrador não-executivo dos conselhos de administração das empresas". (...)

Oi???? :)

"As qualificações e o mérito continuarão a ser os principais critérios para ocupar estes cargos, no entanto, existindo igualdade de qualificações, deve ser dada prioridade aos filiados nas J partidárias ao sexo menos representado", salienta-se na comunicação do PE.



http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=92971

BCE - Faz o que eu digo, não faças o que eu faço...

O Banco Central Europeu (BCE), um dos credores internacionais de Portugal, que exige rigor nos esforços de consolidação orçamental aos países resgatados, está com dificuldades em gerir o próprio orçamento interno e revela-se muito pouco rigoroso. Com a construção da sua nova sede a ultrapassar largamente as estimativas iniciais (de 500 milhões a 800 milhões de euros), apitamos ainda mais com o valor final a rondar os 1,2 mil milhões de euros e com largo atraso na data de conclusão da obra. Sim,apitamos - os custos vão ser suportados pela zona euro. 

a) se era para isto, não podiam ter salvo uns empreiteiros nacionais da falência, dando-lhes emprego?
b) o facto de haver um português lá no meio (vice presidente Vítor Constâncio) quer dizer alguma coisa na gestão do empreendimento? Há assim tantos trabalhos a mais à conta do gabinete do senhor?

O Ministério Agridoce lança um concurso de troikos portugueses para mandar para Frankfurt e ajudar ao cumprimento das metas na gestão deste contrato. Nós estamos habituados a acreditar até ao fim! É só cortar e vender umas coisas e abater no saldo final!... 


domingo, 10 de novembro de 2013

O que é nacional é bom: A EPAL é das empresas mais eficientes a nível mundial no controlo da rede de água.

A Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) é responsável por um sistema de abastecimento que se desenvolve ao longo de mais de 2.100 km, desde a albufeira de Castelo de Bode até à cidade de Lisboa, servindo com qualidade cerca de 3 milhões de pessoas (de 35 concelhos da margem norte do rio Tejo). Com uma nova atitude perante o mercado, esta entidade gestora apresenta-se mais proactiva, mais empreendedora, mais dinâmica, que faz uso do saber adquirido ao longo de quase 150 anos de actividade, para a criação de produtos inovadores “transaccionáveis” que permitam a sustentabilidade integrada da empresa. BRAVO!!

Ao desenvolver o sistema WONE - Water Optimization for Network Efficiency, produto 100% português, a EPAL torna-se das empresas mais eficientes a nível mundial no controlo da rede de água. Este software utiliza a telegestão que monitoriza continuamente a rede e distribuição e permite detectar fugas na rede antes destas serem visíveis, explica o presidente da EPAL. A detecção é feita mesmo ao nível das pequenas rupturas que resultam em infiltrações no solo e que não são visíveis do exterior. Explica José Sardinha que quando a EPAL começou a testar este modelo de controlo de fugas, estas eram da ordem dos 25%. Em 2012 as perdas de água da empresa situaram-se nos 8,7%, o que compara com Tóquio, possivelmente a cidade com maior eficiência no controlo dos desperdícios e que tem um nível de perdas de 8%. Lisboa compara ainda favoravelmente com uma das melhores cidades neste tema: Nova Iorque, que apresenta perdas de 10%.



O sistema de combate ao desperdício de água da EPAL venceu o prémio WEX - Water and Energy Exchange, em Madrid, reconhecido como produto tecnológico inovador na área da Operação e pelos resultados alcançados. Também na recente 6ª edição dos Green Project Awards, a EPAL foi premiada na categoria Gestão Eficiente de Recursos. 

Para a EPAL, a redução das perdas de água é fundamental para a sustentabilidade económica e ambiental do País. Para o Ministério Agridoce também! PARABÉNS!! 

Notícia de última hora: A EPAL é das poucas empresas portuguesas a concorrer aos "European Business Awards", na categoria "The millicom award for environmental & corporate sustainability". 
Ainda vai a tempo de votar aqui http://www.businessawardseurope.com/  :)