domingo, 22 de dezembro de 2013

Natal - Repartir afectos

Já referi anteriormente aqui no Ministério que, quando gosto ou leio algo que me toca muitíssimo, posso partilhar com um núcleo restrito de amigos, mas acima de tudo, guardo. Tenho sempre a impressão que mais tarde pode vir a ser-me útil descobrindo mais coisas, ora olhando sob outro prisma ou pela eventual maturidade do tempo, interpretaria de forma diferente. Este guardar pode tomar várias formas, mas o TOP é um caderno! Género Moleskine com pensamentos, frases soltas, notas sobre sonhos, enfim... de lá não surgem obras literárias, mas este materializar escrevendo, de alguma forma ajuda-me a pôr algumas ideias em ordem. Foi o que se passou com o texto abaixo: passei para o caderno uma folha que recebi no fim da missa com a homilia transcrita... Não pensei que fosse muito importante, confesso, uma vez que a mensagem tinha sido captada pelos meus ouvidos. Mas lá trouxe a folha e antes que a perdesse foi directa para o caderno. E de facto valeu a pena. Tanto como acho que vale a pena passar do papel para o computador e publicar no blogue para os meus (e)leitores, ao melhor estilo de relíquia natalícia! :) O texto é da autoria do Pe. Vítor Feytor Pinto, num domingo de Dezembro 2011, na Paróquia do Campo Grande. Raro lá ir por ser longe de onde moro, mas perto da casa da minha afilhada, o que acaba por proporcionar ir lá essas poucas vezes. E ainda bem que assim foi neste dia. Deu-me uma luz nova sobre o Natal, outro sentido. Aconselho a leitura a católicos e não católicos... e convido a interpretar "para lá" do óbvio... :)

"1- Mais do que partilhar bens, o Natal reclama a partilha de afectos.
O ser humano é um ser social e o jogo de afectos faz parte da realização de cada um. Por mais coisas que se tenham, ninguém é feliz se não amar e se não se deixar amar. Aliás, o Natal não tem outros desafios a não ser o do amor partilhado com Deus, na pessoa de Jesus e com os homens no desejo de fazer feliz toda a gente. Por isso, este é o tempo de olhar para os mais pobres e os que mais sofrem, mas é tempo também para quantos estão ao nosso lado em casa, no trabalho, na vida social.
Será interessante perguntar como se consegue partilhar os afectos. É simples a resposta, bastará descobrir que se podem fazer felizes todos aqueles que se cruzam no nosso caminho. Partilhar afectos é...

  • Reparar no outro e dar-lhe atenção: na cidade as pessoas vivem como desconhecidos, cruzam-se nas ruas, entram nos prédios, sobem nos elevadores e nem sequer olham umas para as outras. É preciso reparar que o outro existe e precisa da "minha" atenção.
  • Escutar o que o outro tem para dizer: uma coisa importante ou uma história que já ouvimos muitas vezes revela sempre que o outro tem confiança "em mim". 
  • Perdoar o outro: as ofensas magoam as relações, mas a capacidade de perdoar reconstrói a vida vencendo angústias, solidões e mal querenças. 
  • Cuidar do outro: qualquer que seja o seu problema, todas as pessoas precisam de ser ajudadas. pelo que o jogo dos afectos permite compreender qual é o mistério do outro que está próximo e que precisa "de mim".
  • Sentar-se à mesa com o outro: partilhando com ele o carinho e a ternura, as preocupações e os sonhos, o bem e a adversidade, construindo uma relação pacificadora.
  • Rezar com o outro: a presença de Deus na relação que se tem com alguém dá ao sentido da vida uma alegria intensa porque Deus vem sempre ao encontro daqueles que se amam. 
A partilha dos afectos é muito mais que a partilha de bens. Quantas vezes se dá uma esmola para alguém se ver livre do pobre que estende a mão... O amor é diferente, compromete, e o outro passa a fazer parte do projecto que cada um traz consigo. Vale a pena dizer em oração: "Senhor, neste Natal ensina-me a amar".

2- Uma das formas mais belas da partilha de afectos está no voluntariado.
No domingo passado juntaram-se 400 voluntários na Paróquia e durante 3 h contaram uns aos outros as maravilhas de amor que é servir gratuitamente os mais idosos, os mais pobres ou os que mais sofrem. Os voluntários partilham a vida num extraordinário dom de amor. Também a responsável do voluntariado foi convidada a ir à Ass. da República falar da nossa experiência de amor. Emocionou os deputados, interpelou os políticos, congratulou-se com outras experiências, falou da acção voluntária realizada na comunidade paroquial Campo Grande:

Muitos são os projectos nos quais os voluntários são imprescindíveis e que melhoram a qualidade de vida material das pessoas: rouperia, extensão do banco alimentar, distribuição de almoços, (...) explicações ou apoio escolar a jovens em situações de risco... mas gostaria de focar a minha atenção nos projectos que melhoram a qualidade de vida não material. O isolamento a que muitas pessoas estão sujeitas rouba-lhes satisfação, felicidade, integração e pertença, até quase lhes rouba dignidade. Criar laços e redes de afectos e relações que consigam devolver as pessoas a um lugar social, de pertença a um grupo e ajudá-las a reencontrar um sentido válido para a vida é fundamental, para que na nossa sociedade não andemos a acrescentar anos de vida, ao mesmo tempo que oferecemos um presente "envenenado" de indignidade e definhamento afectivo e espiritual.

Este tecer relacional e espiritual, que tem como objectivo tornar a pessoa isolada num agente da sua própria existência, não é fácil, não é claro, não é igual para todos, não tem receitas... É um trabalho de sensibiliadde e atenção, de capacidade de escuta e perspicácia que exige grandes qualidades empáticas aos voluntários. E é um trabalho que nunca se pode dizer que está feito.

Não poderia terminar sem manifestar a convicção de que um voluntariado bem gerido e bem organizado é essencial para a verdadeira coesão e felicidade sociais. Porque dar é gerador de felicidade e bem-estar pessoal e, como diz a embaixadora do ano europeu do voluntariado - Fernanda Freitas - é gerador de PIF (Produto Interno de Felicidade) do qual o nosso país está carente.

3 - Reinventar o amor pela partilha de afectos é o desafio que nos é feito neste Natal. 
Não é preciso fazer muitas coisas novas, é preciso dar uma dimensão nova a todas as coisas que fazemos. Recriar as tradições pedirá um toque de amor em cada palavra, em cada gesto, em cada momento.
  • a consoada, com o bacalhau de sempre, é uma festa de reconcilição e de amor em que ninguém pode faltar
  • o madeiro a arder à porta da igreja é o sinal do amor que a todos aquece, vencendo os frios que as muitas crises provocam. À volta do fogo todos somos iguais.
  • A Missa do galo é a melhor festa  que pode celebrar-se no Natal. É sinal de unidade, vínculo de amor, banquete de alegria. Nesta Eucaristia todos podem estar presentes. Mesmo as crianças que adormecem ao colo dos avós, ou os menso crentes que acompanham a família nesta noite do ano.
  • Os "10 milhões de estrelas"
  • Os Reis Magos
  • A Celebração da Paz: no espírito de Assis todos os homens de boa vontade se encontram para criar uma relação nova de reconciliação e de paz. Se não se pode colaborar na construção da paz na ordem mundial, todos podem construir a paz na suas casas, no seu mundo de trabalho e convivência. 
Recriar o Natal valorizando os afectos é o melhor apelo que se pode fazer... O jogo dos afectos não tem preço e tudo fica mais acessível.

4 - Na proximidade do Natal convida-se cada pessoa a descobrir como pode ter um Natal diferente, um natal de amor, de solidariedade e de alegria."

Pe. Vítor Feytor Pinto (Prior)
11 de Dezembro de 2011


FELIZ NATAL PARA TODOS!..


















sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Os engenheiros sensíveis.

Há uns anos, em conversa com um querido amigo daqueles que nos conhece muito bem, podemos estar séculos sem nos vermos mas a cumplicidade permance e em meia hora conseguimos pôr a vida em dia (FPC, se estás a ler isto - e é bom que estejas, dado o incentivo a este projecto de blog - esta é para ti) disse-me de forma muito convicta:
- "Tu precisas é de um homem de letras! Que te escreva textos lindos!! Não é de um engenheiro." 
Bom, claro que havia um contexto para este assunto e muitas voltas a vida dá... mas o propósito desta introdução é brincar com a hipótese do engenheiro ter uma veia poética e sensível. Eu tenho e assumo uma tendência quase lamechas de acreditar no mundo melhor. Mas sou mulher! E sim, derreto-me com textos lindos e admiro os que fazem puxar pela cabeça. Apesar da formação em ciências exactas ou tangíveis, fascinam-me também as intangíveis. Adoro explorar e divagar, aprofundar e estudar questões da sociedade, valores e comportamentos, acredito na linguagem corporal para ajudar a interpretar intenções numa reunião e coisas do género... :) Agora quero ver o engenheiro de estruturas a assumir isto. Bem podemos esperar sentados! Mas claro que os há. Os engenheiros, além de outras qualidades, acho que também têm uma grande sensibilidade e sabem ser uns românticos incorrigíveis... Podem ser raros, mas até conheço uns com o dom natural para a parte mais humanista da gestão, a noção de capital psicológico.

O que não é muito comum é num congresso com provavelmente 90% desta classe profissional, serem mencionados publicamente alguns destes conceitos "pseudo-esotéricos" e até com algum humor. No Encontro Nacional de Entidades Gestoras de água e saneamento (ENEG 2013), ocorrido na semana passada, ouvi frases inspiradoras (umas mais filosóficas que outras, bem sei...), bocas com intenções veladas e citações no meio de assuntos técnicos, que às tantas dei por mim a registá-las num caderno.

Passo a transcrever algumas, tal e qual como foram pronunciadas:

- neste sector, o tamanho importa (!!)
- o dever dos engenheiros é transformar dificuldades em oportunidades
 (o lado optimista, muito bem!);
- os engenheiros são também muito necessários no sector financeiro, pois trazem racionalidade e pragmatismo para resolver problemas (aqui os financeiros torcem-se na cadeira);
- a procura de bons parceiros é muito importante (noutras áreas da vida então, nem se fala!!);
- não denegrir o passado, se destruírmos a imagem desse passado não é possível melhorar: foi relevante, tem que se construir sobre o que existe (ah pois, a eterna questão de aceitar, integrar... e seguir..)
- todas as palavras para salvar o mundo já foram ditas, só falta agora salvar o mundo. (Almada Negreiros);
- é preciso ter humildade para entrar no mercado (eu diria mesmo que humildade é fundamental para tudo);
a natureza tem uma estrutura feminina; não se sabe defender mas sabe vingar-se como ninguém.
By Ministra do ambiente no Brasil entre 2003-2008 (deve ser meiguinha esta senhora...)

E para acabar em beleza:
Soube da organização de um seminário sobre "Empresas felizes!", dinamizado por um engenheiro - lá está - para abordar a felicidade em torno das organizações e a forma como se pode promover este tema nas empresas. Realizou-se dia 6 de Dezembro na Figueira da Foz. E espero que tenha sido um sucesso :)

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

A vida tem de ser de lamber os beiços!

Não coma a vida com garfo e faca.
Lambuze-se!
Muita gente guarda a vida para o futuro.
É por isso que tantas pessoas se sentem emboloradas na meia-idade.
Elas guardam a vida,
não se entregam ao amor,
ao trabalho, não ousam,
não vão em frente.
Não deixe sua vida ficar muito séria,
saboreie tudo o que conseguir:
as derrotas e as vitórias,
a força do amanhecer e a poesia do anoitecer.
Com o tempo,
você vai percebendo que
para ser feliz
você precisa aprender a gostar de si,
a cuidar de si e,
principalmente,
a gostar de quem também gosta de você.

Roberto Shinyashiki




- dedicado à assessora VIP "X" :)

https://www.facebook.com/robertoshinyashiki

domingo, 1 de dezembro de 2013

Empatia

Se falares com uma pessoa numa linguagem que ela compreenda, isso entra na cabeça dela.
Se falares com ela na sua própria linguagem, atinges o seu coração.

Nelson Mandela


sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Homenagem da Disney a todas as meninas e mulheres do mundo

Esta semana muito se falou sobre violência doméstica (constituição de crime, números de 2013 em Portugal, falta de estratégia de prevenção, entre outros factores associados a este comportamento aflitivo e grave).

Em contra-corrente, deixo-vos este vídeo delicioso sobre a condição de mulher. É uma homenagem da Disney, que retrata de forma bem simples e terna como somos maravilhosas. Há que tê-lo bem presente e sentido, para sabermos rodear-nos de quem nos trata bem.

Para ver e rever :)

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=93275

terça-feira, 26 de novembro de 2013

No dia em que o Orçamento de Estado 2014 foi aprovado...

...sugerimos manter a televisão desligada, mimar-se num banho perfumado de imersão e pegar num bom livro para relaxar (eufemismo para "não entrar em colapso nervoso e explodir com o Excel a tentar funções malucas para esticar o orçamento pessoal). 

1 - "Allegro Ma Non Troppo - Leis fundamentais da estupidez humana", de Carlo M. Cipolla  


Por que razão um estúpido é mais perigoso que um bandido? Qual é a relação histórica entre o consumo da pimenta, o desenvolvimento da metalurgia e a difusão do nome Smith? Estas e outras intrigantes perguntas encontram resposta nos dois divertidos ensaios que compõem este livro, uma pirueta anárquica de fino humor; o primeiro ensaio é uma paródia hilariante da história económica e social da idade Média, com o Império Romano à mistura; o segundo, uma deliciosa brincadeira, em jeito de teoria geral da estupidez humana. Duas pequenas obras-primas de jocosa extravagância intelectual, que nos propõem uma pausa de irreprimível comicidade e humorismo. Esta obra destina-se a todos os leitores sem excepção, em especial aos interessados pelas peripécias da História e aos amantes da escrita irónica e perspicaz.


2 - "O triunfo dos porcos", de George Orwell.

Publicado pela primeira vez em 1945, "O Triunfo dos Porcos" transformou-se na clássica fábula política deste século. Acrescentando-lhe a sua marca pessoal de mordacidade e perspicácia, George Orwell relata a história de uma revolução entre os animais de uma quinta e o modo como o idealismo foi traído pelo poder, pela corrupção e pela mentira.



Obrigada à minha assessora VIP "R" pela sugestão :)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Animal_Farm

domingo, 24 de novembro de 2013

A fábula da borboleta

“Certo dia, um homem estava no quintal de sua casa e observou um casulo pendurado numa árvore. Curioso, o homem ficou admirando aquele casulo durante um longo tempo.

Ele via que a borboleta fazia um esforço enorme para tentar sair através de um pequeno buraco, sem sucesso. Depois de algum tempo, a borboleta parecia que tinha desistido de sair do casulo, as suas forças haviam se esgotado. 

O homem, vendo a aflição dela para querer sair resolveu ajudá-la: pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo para libertar a borboleta. A borboleta saiu facilmente, mas seu corpo estava murcho e as suas asas amassadas.

O homem, feliz por ajudá-la a sair, ficou esperando o momento em que ela fosse abrir as asas e sair voando, mas nada aconteceu. A borboleta passou o resto da sua vida com as asas encolhidas e rastejando o seu corpo murcho. Nunca foi capaz de voar…

O homem então compreendeu que o casulo apertado e o esforço da borboleta para conseguir sair de lá, eram necessários para que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas para fortalecê-las e ela poder voar assim que se libertasse do casulo.”

Moral da história: às vezes o esforço é necessário para o nosso crescimento e fortalecimento.



Se por um lado gostei deste texto por haver dias em que me sinto borboleta enrolada no casulo, por outro, achei por bem publicá-lo ao encontrar paralelismos com o estado da nação.

Senão vejamos:

Portugal fazia um esforço enorme para tentar sair da crise através de um buraco, sem sucesso. Depois de vários PECS, o país parecia que tinha desistido de sair da crise, as suas forças haviam se esgotado. 

A Troika, vendo a aflição de Portugal resolveu ajudá-lo: pegou uma tesoura e cortou tudo o que havia para cortar para libertar o país. Portugal safou-se da primeira crise dos juros, mas seu corpo estava murcho (aqui dá-se liberdade criativa ao leitor para escolher quem quiser, na personificação de murcho) e as suas asas amassadas.

A Troika, feliz por ajudar Portugal a sair da crise, ficou esperando o momento em que ele fosse abrir as asas e sair voando pelos mercados e pelo crescimento económico, mas nada aconteceu. O país passou o resto da sua vida com a sua autonomia encolhida e rastejando perante os credores o seu corpo murcho. Nunca foi capaz de voar… Mas há-de ser capaz de voar.



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Parlamento Europeu quer 40% de mulheres na direcção de empresas até 2020

Esta proposta, que prevê um aumento até 2018 no caso das empresas públicas, visa um aumento da quota de mulheres nos "cargos de administrador não-executivo dos conselhos de administração das empresas". (...)

Oi???? :)

"As qualificações e o mérito continuarão a ser os principais critérios para ocupar estes cargos, no entanto, existindo igualdade de qualificações, deve ser dada prioridade aos filiados nas J partidárias ao sexo menos representado", salienta-se na comunicação do PE.



http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=92971

BCE - Faz o que eu digo, não faças o que eu faço...

O Banco Central Europeu (BCE), um dos credores internacionais de Portugal, que exige rigor nos esforços de consolidação orçamental aos países resgatados, está com dificuldades em gerir o próprio orçamento interno e revela-se muito pouco rigoroso. Com a construção da sua nova sede a ultrapassar largamente as estimativas iniciais (de 500 milhões a 800 milhões de euros), apitamos ainda mais com o valor final a rondar os 1,2 mil milhões de euros e com largo atraso na data de conclusão da obra. Sim,apitamos - os custos vão ser suportados pela zona euro. 

a) se era para isto, não podiam ter salvo uns empreiteiros nacionais da falência, dando-lhes emprego?
b) o facto de haver um português lá no meio (vice presidente Vítor Constâncio) quer dizer alguma coisa na gestão do empreendimento? Há assim tantos trabalhos a mais à conta do gabinete do senhor?

O Ministério Agridoce lança um concurso de troikos portugueses para mandar para Frankfurt e ajudar ao cumprimento das metas na gestão deste contrato. Nós estamos habituados a acreditar até ao fim! É só cortar e vender umas coisas e abater no saldo final!... 


domingo, 10 de novembro de 2013

O que é nacional é bom: A EPAL é das empresas mais eficientes a nível mundial no controlo da rede de água.

A Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) é responsável por um sistema de abastecimento que se desenvolve ao longo de mais de 2.100 km, desde a albufeira de Castelo de Bode até à cidade de Lisboa, servindo com qualidade cerca de 3 milhões de pessoas (de 35 concelhos da margem norte do rio Tejo). Com uma nova atitude perante o mercado, esta entidade gestora apresenta-se mais proactiva, mais empreendedora, mais dinâmica, que faz uso do saber adquirido ao longo de quase 150 anos de actividade, para a criação de produtos inovadores “transaccionáveis” que permitam a sustentabilidade integrada da empresa. BRAVO!!

Ao desenvolver o sistema WONE - Water Optimization for Network Efficiency, produto 100% português, a EPAL torna-se das empresas mais eficientes a nível mundial no controlo da rede de água. Este software utiliza a telegestão que monitoriza continuamente a rede e distribuição e permite detectar fugas na rede antes destas serem visíveis, explica o presidente da EPAL. A detecção é feita mesmo ao nível das pequenas rupturas que resultam em infiltrações no solo e que não são visíveis do exterior. Explica José Sardinha que quando a EPAL começou a testar este modelo de controlo de fugas, estas eram da ordem dos 25%. Em 2012 as perdas de água da empresa situaram-se nos 8,7%, o que compara com Tóquio, possivelmente a cidade com maior eficiência no controlo dos desperdícios e que tem um nível de perdas de 8%. Lisboa compara ainda favoravelmente com uma das melhores cidades neste tema: Nova Iorque, que apresenta perdas de 10%.



O sistema de combate ao desperdício de água da EPAL venceu o prémio WEX - Water and Energy Exchange, em Madrid, reconhecido como produto tecnológico inovador na área da Operação e pelos resultados alcançados. Também na recente 6ª edição dos Green Project Awards, a EPAL foi premiada na categoria Gestão Eficiente de Recursos. 

Para a EPAL, a redução das perdas de água é fundamental para a sustentabilidade económica e ambiental do País. Para o Ministério Agridoce também! PARABÉNS!! 

Notícia de última hora: A EPAL é das poucas empresas portuguesas a concorrer aos "European Business Awards", na categoria "The millicom award for environmental & corporate sustainability". 
Ainda vai a tempo de votar aqui http://www.businessawardseurope.com/  :)  


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Governo aperta regras sobre animais de companhia em casa - Pronto ! Agora cortam até nos animais de estimação.


O Governo quer alterar a actual lei sobre animais domésticos e limitar a dois o número de cães por apartamento. No caso dos gatos, o limite sobe para quatro. A ideia é da ministra Assunção Cristas e consta do projecto de Código do Animal de Companhia, que, segundo o Governo, ainda não está fechado. Em Bruxelas, debateu-se ontem o bem-estar de cães e gatos.

A notícia é avançada pelo jornal “Público” e poderão consultar no link abaixo. Vou tentar fazer aqui uma análise racional:


1 - Por um lado temos o presidente da Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia, Jorge Cid, a admitir ao “Público” temer "gravíssimas implicações" para quem gosta de animais; e ainda a Associação Animal e a Ordem dos Veterinários, que também se mostram contrárias às novas regras. 


2- Por outro lado, temos a Dra. Assunção Cristas e a malta de Bruxelas, a querer meter o bedelho também na vida dos animais de companhia portugueses. 


3- Existem Câmaras Municipais e respectivos serviços de Higiene e Salubridade, que se contactam quando há indícios de excesso de animais numa casa, sujeitos a más condições e /ou maus tratos. Mas, se as novas regras prevêm uma redução das multas para maus tratos, então a preocupação não deve ser tanto com o bem estar dos animais... até porque depois, quanto ao abandono também não há consequências... Espectacular. 


4 - E o passo seguinte? Uma ZOO-ASAE no prédio de fita métrica em riste, a querer medir a pança do meu gato, para ver se está dentro das normas europeias?? 


CRISTO! O Governo não terá mais nada com que se preocupar?!  


Sugestão agridoce : investir na educação cívica DAS PESSOAS. 
Por exemplo, não berrar com o animal ou deixá-lo a ganir horas a fio (refiro-me ao cão e não ao eventual fiscal de Bruxelas ou da hipotética ZOO-ASAE).


http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=127364

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O que é nacional, é bom: Nova SBE entre as melhores escolas do mundo

A Nova SBE (School of Business & Economics), é um "rebranding" e novo nome oficial da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa.

Assumindo um posicionamento internacional e mantendo o elevado nível de exigência e qualidade do ensino (aqui vou tentar conter-me nos naturais elogios, como antiga aluna do programa de executivos), esta escola traz pela primeira vez ao ensino superior português, a distinção máxima de 5 palmas. PALMAS!! :)
Significa que conquista o estatuto de "Universal Business School", atribuido pela Eduniversal (agência internacional de rankings para o ensino superior, que avalia as melhores escolas de negócios do mundo), integrando um exclusivo Top100.



PARABÉNS! O que é nacional, é bom!!

dica agridoce 1 - aqui está uma boa oferta de recursos humanos para assessorar governos
dica agridoce 2 - o slogan "shaping powerful minds" é um convite a pensar fora da caixa. Enfim, se for muito exigente, pode ser só um convite a pensar... nos tempos que correm já não é nada mau!! :)

http://www.novasbe.unl.pt/pt/news-articles/news/661-nova-sbe-among-the-top-100-schools-in-the-world

domingo, 20 de outubro de 2013

TBC - A fórmula mágica para resolver todos os seus problemas! :)

Agora, à sua disposição, a fórmula mágica...( MÁGICA!! ) para corrigir tudo o que tem de errado na sua vida! :)

TBC - 30 segundos para resolver a sua vida!!


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Lembre-se de largar o copo!

Num momento em que andamos todos ou quase todos com os cabelos em pé, o Ministério Agridoce partilha uma história útil... :)

Uma psicóloga fala sobre gestão do stress numa palestra e levanta um copo de água. Todos pensaram que ela perguntaria "Meio cheio ou meio vazio?".
Mas com um sorriso ela perguntou "Quanto pesa este copo de água?"

As respostas variaram entre 100 e 350g.

Ela respondeu:
"O peso absoluto não importa. Depende de quanto tempo o seguramos.
Se eu segurar por um minuto, não há problema.
Se eu o segurar durante uma hora, ficarei com dores no braço.
Se eu segurar por um dia o meu braço ficará amortecido e paralisado.
Em todos os casos o peso do copo não mudou, mas quanto mais tempo eu o segurava, mais pesado ele ficava". Ela continuou: "O stress e as preocupações da vida são como aquele copo d'água. Eu penso sobre eles por um tempo e nada acontece. Eu penso sobre eles um pouco mais de tempo e eles começam a machucar. E se eu penso sobre eles durante o dia todo me sinto paralisada, incapaz de fazer qualquer coisa.”


É importante lembrar de deixar o seu stress de lado. No começo da noite você pode largar todos os seus fardos. Não os carregue durante toda noite até ir para a cama.





domingo, 13 de outubro de 2013

Palavra da semana: "Maratona"!

1 - A maratona do Conselho de Ministros extarordinário este domingo, para fechar a proposta de Orçamento de Estado 2014:
Começou hoje às 10h da manhã e por essa razão consta que houve logo quem se lembrasse de incorporar uma medida de última hora - cortar um dia ao fim de semana.

2 - A manifestação na Ponte, prevista para 19 de Outubro e convocada pela CGTP:
Se para a mini maratona de Lisboa foram 20.000 pessoas, com inscrição a 20 €, agora que se pode passear na ponte e ver a lindíssima cidade de Lisboa a custo zero, a intersindical deve conseguir a maior adesão à greve de sempre!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Portugal - Israel "Na 1ª parte estivémos bem. Na 2ª parte não estivémos tão bem" (?!?!?)

Assim se resume a análise de Paulo Bento ao desempenho da selecção.
Repito: "Na 1ª parte estivémos bem. Na 2ª parte não estivémos tão bem".
Ou vice-versa, que eu vi o jogo na diagonal e sou mulher, tá? E também não me parece que seja com estas palavras que vou passar a perceber mais de futebol.

Como diria o Steve Jobs - FOCO E SIMPLICIDADE :)
p.s 1 - muitos meios extra-futebol ganhariam com isto
p.s 2 - a eloquência do discurso do treinador faz-me lembrar vagamente o Vitor Gaspar

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Irlanda anuncia Orçamento com menos cortes que os previstos com 'troika' ...


Em Portugal, Passos alerta para novo choque de expectativas em 2014.
Na Irlanda, Noonan justifica que não será necessário um orçamento tão austero para cumprir os objetivos fixados pelo programa de ajuda, porque as arcas do Estado têm "poupanças importantes" e a economia está a recuperar.

(...)
(...)

Já imaginaram um programa de intercâmbio género Erasmus, mas na política? :)

http://economico.sapo.pt/noticias/irlanda-anuncia-orcamento-com-menos-cortes-que-os-previstos-com-troika_178905.html

Cortes no subsídio de refeição e a Roda dos Alimentos.


A Roda dos Alimentos é uma representação gráfica criada em Portugal, no âmbito da Campanha de Educação Alimentar "Saber comer é saber viver", que ajuda a escolher e combinar os alimentos que deverão fazer parte da alimentação diária.


O Ministério Agridoce relembra este conceito, na esperança que o português consiga o milagre de esticar o novo valor de subsídio de refeição e coma saudável por 4.27 €/ dia... 



quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Cuidado com os burros motivados

Há alguns textos que gostei e me tocaram tanto que tenho-os guardados, tendo partilhado apenas com um núcleo muito restrito de amigos. Sabia terem a sensibilidade, a visão e a perspicácia para apreciá-los igualmente, sem que me julgassem pretenciosa. O que transcrevo abaixo é das coisas mais bonitas e bem explicadas que li, aborda tanto a gestão e o mundo corporativo, como o bom senso, valores familiares e responsabilização para aceitarmos e/ou mudarmos a nossa vida. Confio que chegou o momento de divulgá-lo aos meus queridos (e)leitores. Trata-se da transcrição, na íntegra, de uma entrevista publicada no Brasil, a Roberto Shinyashiki (médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional) sobre o seu livro "Heróis de verdade", em que o escritor combate a supervalorização das aparências, diz que falta ao Brasil competência e não auto-estima. Vem aí um verdadeiro momento zen... ;)

- Quem são os heróis de verdade?

Roberto Shinyashiki -- Nossa sociedade ensina que, para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser diretor de uma multinacional, ter carro importado, viajar de primeira classe. O mundo define que poucas pessoas deram certo. Isso é uma loucura. Para cada diretor de empresa, há milhares de funcionários que não chegaram a ser gerentes. E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados. Quando olha para a própria vida, a maioria se convence de que não valeu à pena, porque não conseguiu ter o carro, nem a casa maravilhosa. Para mim, é importante que o filho da moça que trabalha na minha casa, possa se orgulhar da mãe. O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes. Heróis de verdade são aqueles que trabalham para realizar seus projectos de vida e não para impressionar os outros. São pessoas que sabem pedir desculpas e admitiram que erraram.

- O Sr. citaria exemplos?

Shinyashiki -- Quando eu nasci, minha mãe era empregada doméstica e meu pai, órfão aos sete anos, empregado em uma farmácia. Morávamos em um bairro miserável em São Vicente (SP) chamado Vila Margarida. Eles são meus heróis. Conseguiram criar seus quatro filhos, que hoje estão bem. Acho lindo quando o Cafu põe uma camisa em que está escrito '100% Jardim Irene'. É pena que a maior parte das pessoas esconda suas raízes. O resultado é um mundo vítima da depressão, doença que acomete hoje 10% da população americana. Em países como o Japão, a Suécia e a Noruega, há mais suicídio do que homicídio. Por que tanta gente se mata? Parte da culpa está na depressão das aparências, que acomete a mulher, que embora não ame mais o marido, mantém o casamento, ou o homem que passa décadas em um emprego, que não o faz se sentir realizado, mas o faz se sentir seguro.

- Qual o resultado disso?

Shinyashiki -- Paranóia e depressão cada vez mais precoce.
O pai quer preparar o filho para o futuro e mete o menino em aulas de inglês, informática e mandarim. Aos nove ou dez anos a depressão aparece. A única coisa que prepara uma criança para o futuro, é ela poder ser criança. Com a desculpa de prepará-los para o futuro, os malucos dos pais estão roubando a infância dos filhos. Essas crianças serão adultos inseguros e terão discursos hipócritas. Aliás, a hipocrisia já predomina no mundo corporativo.

- Porquê?

Shinyashiki -- O mundo corporativo virou um mundo de faz-de-conta, a começar pelo processo de recrutamento. É contratado o sujeito com mais marketing pessoal. As corporações valorizam mais a auto-estima do que a competência. Sou presidente da Editora Gente e entrevistei uma moça que respondia todas as minhas perguntas com uma ou duas palavras. Disse que ela não parecia demonstrar interesse. Ela me respondeu estar muito interessada, mas como falava pouco, pediu que eu pesasse o desempenho dela, e não a conversa. Até porque ela era candidata a um emprego na contabilidade, e não de relações públicas. Contratei-a na hora. Num processo clássico de seleção, ela não passaria da primeira etapa.

- Há um script estabelecido?

Shinyashiki -- Sim. Quer ver uma pergunta estúpida feita por um presidente de multinacional no programa 'O Aprendiz'? - Qual é seu defeito? - Todos respondem que o defeito é não pensar na vida pessoal: "Eu mergulho de cabeça na empresa. Preciso aprender a relaxar." É exatamente o que o Chefe quer escutar.
Por que você acha que nunca alguém respondeu ser desorganizado ou esquecido? É contratado quem é bom em conversar, em fingir. Da mesma forma, na maioria das vezes, são promovidos aqueles que fazem o jogo do poder. O vice-presidente de uma as maiores empresas do planeta me disse: 'Sabe, Roberto, ninguém chega à vice-presidência sem mentir'. Isso significa que quem fala a verdade não chega a director!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Dia Nacional da Água

O Ministério Agridoce apoia campanhas inovadoras - eis uma dica de sensibilização para o uso eficiente da água  :)


domingo, 29 de setembro de 2013

Autárquicas - a noite em que a TVI cortou o pio ao Marcelo para dar voz à Casa dos Segredos.

Dos discursos que ouvi atentamente na noite eleitoral e comentários sobre resultados:
- Todos ganham (típico!). Seguro e Passos Coelho, consoante a bitola (ah e tal a expressão local versus voto de protesto nacional), Jerónimo de Sousa com o seu viva Alentejo e quiçá Loures (à hora desta publicação), Rui Moreira com o seu variado " O Porto é diferente, somos diferentes, eu vou ser diferente, a política vai ser diferente", Portas mais humilde e a emoção de Ponte de Lima, câmara sem dívidas.
Mas a Raínha da Noite foi Judite de Sousa, a cortar o pio ao Marcelo Rebelo de Sousa, dada a prioridade da TVI em dar tempo de antena à Casa dos Segredos. Até franzi os olhos e subi o volume da televisão pois não acreditava no que estava a ouvir. A rapariga também parecia estar a engolir sapos vivos e repetiu 5 vezes (CINCO, contei eu!!) que eles continuavam a análise noutro canal, bastava o telespectador mudar para o TVI 24.
Mas... se esse Programa dos Degredos já tem um canal próprio nessa estação, porque é que não é a audiência loira platinada e musculada a mudar de canal? Já agora, vale a pena pensar nisto.

A vida nos transportes.

A empresa onde trabalho incentivou os colaboradores a irem de bicicleta para o escritório, no dia europeu sem carros. Sim, sim,... perder o perfume no caminho e de saltos altos nos pedais?! Bom, fui de autocarro. Tudo estava bem até acabar a bateria do I-Pod e perceber a quantidade de gente a tossir ao meu lado e a projectar os seus micróbios em grande estilo! Ainda nem começou e já estou a ver o Inverno a andar para trás. Aqui fica o apelo - mão/ lenço à frente da boca! Os utentes da Carris agradecem :)

Banda Sonora da 8ª e 9ª avaliação da Troika.

"Dou-te um doce, em troca de um beijo salgado" By Merkel
Doce = €€€€
Salgado = austeridade